5 de dezembro de 2017

SEGURANÇA NUNCA É DEMAIS...

U-LOCK modelo B15 da ORTRE.  Foto da BICYCLE TIMES

Amigos...

Recorrente aqui e em todas as rodas de conversa, é a insegurança que ronda todos os ciclistas. Não basta estarmos sujeitos a falta de educação e respeito dos motoristas quando estamos pedalando, ainda precisamos administar as "almas sebosas" que estão de olho em nossas bikes nas ruas (assaltos) ou nos paraciclos (furtos).  Assaltos e furtos especialmente tem aumentado muito, exigindo maior cuidado e controle nas contramedidas.

O assunto aqui vai se restringir aos furtos que atingem mais quem usa a bicicleta no dia a dia, e também a quem tem bicicletas caras estacionadas em garagens de prédios, por exemplo. Tenho notado um desconhecimento generalizado sobre as trancas e correntes. Sugiro a leitura de dois posts de 2009 sobre o assunto: a primeira e a segunda parte. Algumas contramedidas mais atualizadas podem ser vistas no BICYCLE TIMES (links 1 e 2), com travas tipo U-LOCK da Kriptonita e outros modelos diferentes, nem sempre encontrados por aqui.

Só tenha certeza de adquirir uma marca DECENTE.  Ir comprar qualquer "ching-ling" mesmo uma U-LOCK GENÉRICA não aumenta mais sua segurança, só sua ILUSÃO DE SEGURANÇA. Na AMAZON tem uma lista de modelos de boa qualidade, como KRIPTONITE, ABUS, ON-GUARD, etc.  Vocês não vão encontrar todos os modelos por aqui. Mas alguns se encontram, e já conhecendo as características, pode escolher de forma mais consciente.

Se você puder, registre sua bike no BIKE REGISTRADA, anote número do quadro, a descrição das peças mais importantes (se espelhe nas listas usadas pelos fabricantes para vender as bikes), e tire muitas fotos da bicicleta e dos itens para servir de prova em caso de furto ou assalto.

De resto, fique ligado onde você guarda sua bicicleta, não dê mole para os sebosos, e não facilite.

COMENTEM...

6 de novembro de 2017

VISIBILIDADE... VAMOS DISCUTIR ISSO?

Laser projetando linhas atrás da bicicleta. Casaco claro, com refletivos. Bicicleta com lanterna atrás do banco. E nem assim, podemos realmente acreditar que o ciclista está protegido!  Foto: DAQUI.
Amigos...

       O CTB (ARTIGO 29, INCISO XII, PARÁGRAFO 2º) e qualquer ciclista vai defender que existe uma responsabilidade imediata do motorista sobre os ciclistas e pedestres na via. E os ciclistas irão de imediato acrescentar que muitos carros não respeitam essa norma, especialmente à noite.  Existem opiniões divergentes se existe mesmo essa de "OLHEI MAIS NÃO VI" alegado por muitos motoristas para justificar fechadas e acidentes com ciclistas.  Também existem muitos ciclistas que não querem usar iluminação ou refletivos nas bicicletas ("não sou Árvore de Natal para andar piscando!" Já ouvi de uma ciclista!), que andam de preto com uma bike preta sem um único refletivo (ciclista ninja), e tendo a certeza de que estão sendo bem vistos no meio do tráfego.
Lanterna da BLAZE, projeta uma bike verde seis metros a frente do ciclista além do farol.  Foto: DAQUI
      Pedalo e ando à noite, em áreas de trânsito intenso, e já presenciei muitas dessas fechadas, muitos desses ninjas com destaque especial em ruas escuras, onde a visibilidade depende exclusivamente do farol dos carros.  Observe que estando a frente do carro, a bike é vista sempre. Mas estando atrás, ela está no esquema geral de sombras e contraluzes que dificultam uma precisa determinação de distâncias e vetores de direção. Eu, quando motorista, nunca consegui prever corretamente o movimento de sombras, atento que ficava ao tráfego a frente do carro. Por isso, quando pedalo, minha lanterna é posicionada ligeiramente a esquerda, para atingir o espelho retrovisor do carro imediatamente a minha frente e a minha esquerda.  Roupas claras, refletivos, lanternas traseiras piscando, tanto na bike quanto no capacete (ou na mochila, ou no boné, ou em qq parte alta), ajudam a aumentar minha visibilidade. Já tive aqueles lasers que criam linhas de "espaço do ciclista" ao lado e atrás da bike. E já vi o trabalho da Blaze em Londres, com um laser que cria uma bike verde à frente do ciclista para avisar ao motorista de sua presença e evitar que ele te feche.

      Acredito que tudo é válido para nos manter visível.  Isso não nos dá 100% de segurança, mas tira de nossos ombros o problema de visibilidade.  Cabe aos motoristas entenderem e respeitarem o nosso espaço.

COMENTEM...

4 de novembro de 2017

PLÁSTICOS: O FIM DE TUDO...

SACOS DE LIXO, no manguezal do Rio Capibaribe, na Rua da Aurora, altura da Assembleia Legislativa do Estado.
Levará quase um século para se dissolver totalmente, mas antes, irá se converter em pó e poeira da plástico, microparticulada, sendo absorvida por animais microscópicos e entrando na cadeia alimentar.

Amigos...

Sacos e garrafas plástica fazem parte do mundo nos últimos 50 anos. A natureza, em todo o mundo, está contaminada com eles. Plásticos não dissolvem como os materiais naturais, como madeira, metais ou cerâmicos. Plásticos se fragmentam em partículas minúsculas depois de muito tempo, e algumas são invisíveis a olho nu, mas capazes de entrar em todas as coisas, inclusive seres vivos. Entra através dos animais microscópicos que alimentam a base da cadeia alimentar, indo se acumular em peixes, aves e animais maiores que se alimentam deles, inclusive o homem.  Só muito recentemente foi descoberta uma nova bactéria que se alimenta realmente de plásticos, digerindo totalmente as cadeias poliméricas, mas ela só está presente em alguns lugares do planeta. Com isso, todos nós estamos nos tornando depósitos de materiais insolúveis e que não podemos digerir, que não podemos metabolizar, e que se acumula em nossos sistemas digestivo e excretor.  O tempo vai nos mostrar se esse dano que estamos causando aos nossos corpos será comparável com o que estamos causando ao resto do meio ambiente.

Seja proativo. Reutilize ou recicle todos os sacos e garrafas plásticas que puder. Nunca libere esses materiais no meio ambiente. Se você não fizer isso por você, faça pelos seus filhos e netos.  São eles que vão receber o mundo sujo que estamos deixando.

COMENTEM...

15 de outubro de 2017

ÁRVORES E BICICLETAS...TUDO A VER!

PRAÇA DA REPÚBLICA
Árvores fazem a diferença na temperatura da ciclofaixa.


Amigos...

Algumas décadas atrás, o Recife tinha bairros cheios de alamedas arborizadas, onde circulava a nata da cidade. A nata resolveu que não era possível para ela, nata, usar os pés para andar por essas alamedas. Queria exibir seu sucesso, seu poder, suas riquezas, e para isso, começaram a usar o carro como objeto de distinção. Quem tinha carro, tinha tudo. Depois, não bastava um único carro, mas um carro para cada membro da família.  Ora, nem nossas belas alamedas são de "borracha"?!?!  Muitos carros, vamos alargar as alamedas para termos mais espaço, mas isso tem limite. E começou assim o drama de nossas árvores, relegadas a vilãs de uma "nata" sem juízo.

Empurrados os limites das pistas de rolamento para os carros, reduziu as calçadas e sufocou as árvores.  Doenças, maus tratos, e idade, estão fazendo o resto.  Dúzias de árvores removidas.

No momento que mais e mais cidades do mundo investem na bicicleta, precisamos cada vez mais das árvores.  No Recife, cidade de sol quase constante durante o ano, são as árvores que garantem que os bairros "bons", continuem "bons".  Áreas de sombra como as oferecidas pelas árvores, reduzem a temperatura do ar, e criam correntes microlocalizadas que ajudam a reduzir a temperatura. Áreas de sombra fazem o pedalar mais suave, mais tranquilo e mais conectado com a cidade. Mais bicicleta, menos carros, quem sabe podemos voltar a ter alamedas onde andar seja o principal, conectando as pessoas ao lugar onde moram.

Assim, proteger e fomentar a bicicleta é também garantir o espaço das árvores. E lutar pelas árvores é garantir um ambiente melhor, inclusive para os ciclistas.

COMENTEM...

13 de outubro de 2017

A VERDADEIRA INVERSÃO DE PRIORIDADES

VIA MANGUE - RETRATO DE UMA SOCIEDADE CARROCRATA
Amigos...

Muitos devem lembrar que o atual prefeito do Recife "vendeu" a ideia de uma "inversão de prioridades" na ocupação do tráfego da cidade.  Os ônibus e os modais não motorizados, como a bicicleta e os pedestres, passariam a ser os reais "donos" do espaço público das ruas da cidade.

Isso ele nunca levou a sério.

Existem vários exemplos disso, mas os mais simples de perceber são a dificuldade para implantar faixas azuis exclusivas para os ônibus, a eternidade para a implantação dos terminais integrados da Caxangá, e a falta de colocação de ciclovias e ciclofaixas previstas no Plano Diretor Cicloviário.  Nunca tem dinheiro para essas ações que beneficiam os mais pobres, aqueles que não usam o carro particular para se mover na cidade.

E mesmo quando faz algo, ele faz errado. Na foto acima, mais uma vez, o ciclista que esteja usando a Ciclovia da Via Mangue é avisado que deve PARAR porque tem VEÍCULOS NA TRANSVERSAL.  Até aí, tudo mais ou menos, ele deveria ser instado a ter atenção. Mas onde está a placa para advertir o MOTORISTA que ele está cruzando uma ciclovia? Onde está a necessária lombada protetora para evitar que ele entre com tudo na transversal, como esse carro está fazendo?  Onde está a proteção ao ciclista na ciclovia que pela lei tem a prioridade ao passar em um cruzamento com motorizados?

Essa é a situação em todas as ciclovias e ciclofaixas do Recife. O ciclista é quem precisa administrar sua segurança, não só ao pedalar nas ruas, mas também em ciclofaixas e ciclovias, onde PELA LEI,  a prioridade é dele.  Essa é uma amostra da VERDADEIRA INVERSÃO DAS PRIORIDADES da Prefeitura da Cidade do Recife?!?!

COMENTEM...

25 de setembro de 2017

UMA PEDALADA MAIS INTERESSANTE...



Amigos...

Outro dia, um amigo comentou comigo sobre o porque eu usava expressões como "COSTURANDO A CICLOFAIXA" ou "LAMBENDO A CICLOFAIXA".  Isso me levou a esse post onde explico o porque e como isso tem a ver com a ideia de explorar as m... que a Prefeitura faz, de uma forma positiva e criativa, para o bem da bicicleta e de seus usuários.

A ciclofaixa em questão é a CICLOFAIXA DE TURISMO E LAZER que a Prefeitura inventou para estimular o uso da bicicleta - se bem que para o lazer apenas.  Isso porque só funciona aos domingos e feriados, e não afeta ao usuário diário da bicicleta como meio de transporte. É uma versão moderna do "circo" romano, da famosa frase PÃO E CIRCO, atribuída à Nero.

Bem, voltando... passei a usar as expressões COSTURANDO ou LAMBENDO para passeios que eu uso pequenos trechos dessa ciclofaixa para integrar com as ciclovias da cidade.  Recife tem poucas ciclovias, geralmente ligando o nada a lugar algum.  Essa forma de usa-las expande a capacidade do usuário de ver a cidade, ver seus problemas, ver sua geografia e captar suas necessidades de mais infraestrutura para o ciclista.

Ao COSTURAR a ciclofaixa, eu enfatizo os cruzamentos da minha rota com a ciclofaixa, de forma a conhecer as cercanias por onde a ciclofaixa passa e sem ficar retido ao traçado que a prefeitura quer.  Eu faço meu caminho, em torno da ciclofaixa e expando as minhas possibilidades como ciclista.

Ao LAMBER a ciclofaixa, eu faço a mesma coisa, mas sem necessariamente cruzar a ciclofaixa. Entro e saio em pequenos trechos, de uso meu, enquanto amplio as áreas no entorno da ciclofaixa.

Em ambos os casos, a rota tende a ser maior.  No mapa, eu mostro em vermelho a última rota - que foi meio abortada por conta da chuva - de uma "lambida"!  Em laranja a ciclofaixa de lazer e turismo. E em azul, os pedaços das ciclovias da cidade... Pode ser visto que parte da rota feita beira a ciclofaixa em alguns pontos na região central e norte da cidade.

Se você se decide a ir com seus amigos para um passeio de bike, experimente costurar ou lamber a ciclofaixa. Você vai ver o quanto a nossa cidade permite pedalar e ir além do que a PCR pretende de você...

SEMANA QUE VEM, TEM OUTRA LAMBIDA!!! kkkk

COMENTEM.

14 de setembro de 2017

EXPERIÊNCIAS DIVIDIDAS...

ILUSTRAÇÃO: ROGÉRIO LEITE @ PEDALANDO E OLHANDO.
Indevidamente copiada de um site que indevidamente copiou do P&O!


Amigos...

Pedalo desde os 8 anos, já vão décadas, deixa quieto! Passei um tempo afastado, morando em uma cidade cheia de altos e baixos. Desde 2008, voltei para o pedal, rodando só e em grupos, fazendo atividade física ou apenas para compras, passear ou fotografar.  E claro, para alimentar esse blog. Então, creio que tenho suficiente experiência para dar algumas dicas aos novatos e provocar o debate de idéias com os experientes.

OBSERVE...

  1. Ao fazer curvas a direita, em meio ao tráfego, nunca se encolha junto a canaleta. Ocupe o máximo da faixa e obrigue assim o motorista a abrir na curva.  Se houver trânsito de muitos carros, acene, para ser visto. 
  2. Por mais louco que você seja, evite ficar "costurando" pelo meio dos carros. Essa é uma das maiores reclamações contra os motoqueiros, e também um dos motivos pelos quais mais de 70% dos acidentes ocorrem com eles. Quando você costura, passa a ideia de desrrespeito as leis (como furar sinais vermelhos ou pegar a contramão).  E isso deixa uma imagem péssima dos ciclistas em geral.  
  3. Cortar ônibus que está coletando passageirons na parada é risco de ser pego no meio. Tenha certeza de que ele está quebrado, ou acaba de parar e vai pegar muita gente antes de arriscar. Prefira esperar e seguir com ele a frente. 
  4. Nem pensar em "morcegar" o ônibus ou caminhão, numa subida, por exemplo. O risco de cair ou ser pego pelas rodas do caminhão é grande.
  5. Evite vias de grande fluxo. Se for impossível, mantenha pelo menos 1 metro do meio-fio, como área de escape, e mantenha sua atenção em quem vem atrás. Não se deixe espremer, ocupando o máximo da faixa.  Nada de pedalar no celular ou ouvindo música nessas vias (também não recomendo em vias de baixo movimento, mas o risco é bem menor).
  6. Nos sinais fechados, a tentação de pegar a "canaleta" entre os carros é grande. Mas lembre das motos.  Prefira esperar atrás de um dos carros, ocupando o meio da faixa.  O motorista atrás de você lhe dará ainda mais valor porque você está agindo de forma correta e respeitosa as leis de trânsito.
  7. Motoristas são em geral muito mais estressados do que ciclistas. Acham que cortando e imprensando você vão furar o tráfego, chegar antes.  Então paciência. Em casos de violência explicita, fale em alto e bom som, o modelo do carro, a cor e a placa.  Leia mesmo, de forma explicita.  Deixe claro, em voz alta, o tipo de infração dele.  Se não servir para nada, serve para dar um choque de realidade ao motorista e alertar passantes que podem ser uma testemunha em caso de agravamento da agressão.
  8. Não deixe barato qualquer agressão maior. Registre o boletim de ocorrência na delegacia, convoque testemunhas, grave o ataque se possível, filme e endosse o BO com isso. Lembre que um motorista agressor que você deixa impune hoje, pode matar uma criança ou uma pessoa importante para você amanhã.  Se ele não se controla, que o estado seja instigado a controla-lo. E quanto antes melhor.
  9. Seguir listas como essa é opcional.  Use sempre o bom senso, que é mais confiável que qualquer recomendação.
  10. Esqueci algo? 
COMENTEM...

2 de setembro de 2017

PRA QUE CULTURA?



Amigos...

Às vésperas do BICICULTURA 2017 aqui no Recife, rodei hoje olhando alguns centros culturais da cidade.  Museus, Centros Culturais e pontos específicos como a Casa do Mamulengo no bairro do Recife.  Observo que apenas em alguns desses locais existe uma infraestrutura para os amigos da bicicleta. Claro que você pode deixar sua bicicleta lá no cais, em frente aos armazéns do Porto, e andar até o Centro Cultural da Caixa ou dos Correios.  Mas quem se arrisca a deixar a bike distante, a céu aberto e sem uma vigilância efetiva?  Nos tempos atuais, é pedir para ser furtado.

E paraciclos e bicicletários não são equipamentos caros, complexos e que tomem grande espaço. Mas é outra forma da PCR dificultar o uso da bicicleta no Recife. Existe a lei que obriga os novos empreendimentos a instalar equipamentos para a bicicleta. Mas o poder público sempre dá um jeitinho de ficar de fora dessas obrigações, basta ver a situação das calçadas da cidade...

Em tempos de BICICULTURA, para que serve mesmo a cultura?  Eu sei a resposta, mas será que todo mundo sabe? E minha resposta inclui acesso fácil e seguro a ela...onde fica minha bicicleta nesse caso?

COMENTEM...

Vejam algumas fotos...
Centro Cultural dos Correios. Tem espaço para um paraciclo!

Centro Cultural da Caixa. Tem de usar o paraciclo do outro lado da rua, em frente ao
mercado de Artesanato, sem nenhuma segurança de que ao voltar você vai encontrar a bicicleta lá.

Outra alternativa? Realmente, vc vai conseguir apreciar a cultura pensando que
naquele momento tem alguém levando sua bicicleta furtada???

Embaixada dos Bonecos Gigantes. Tem espaço para estacionamento, mas não paraciclos.

A sinagoga. Não tem paraciclo.

Paço do Frevo. A gente amarra a bike nessa grade? Tenta para ver!?! 

Embaixada de Pernambuco e Casa do Mamulengo na Praça do Arsenal. Nenhum paraciclo a vista.

Torre Malakoff... tem um belo gradil na frente. Tenta amarrar tua bike ali, que vc vai logo ser
solicitado a leva-la para outro local.

Cais do Sertão tem um paraciclo "mostruário para ladrão".
Fica de frente para rua, sem cobertura ou proteção adequada.

30 de agosto de 2017

ÁRVORES SE PAGAM COM FOLGA...

Foto e informações econômicas da INHABITAT

Amigos...

Sempre tem quem mostre o que "custam" as árvores no Recife: folhas no chão sujando a rua, carros destruídos por uma ou outra maltratada que cai, espaço de menos nas calçadas para pedestres e cadeirantes...Então vamos equilibrar as coisas.
ÁRVORES PODEM ECONOMIZAR R$ 1,5 BILHÕES/ANO EM CIDADES COM MAIS DE 10 MILHÕES DE HABITANTES.
Os benefícios ofertados pelas árvores vão muito além da sombra, dos eventuais frutos ou flores, e da amenização da paisagem dura do concreto urbano.  A cada ano, elas oferecem uma economia de R$1,4 bilhões em redução da poluição do ar, R$ 33 milhões em lidar com água das chuvas, R$ 24 milhões em sequestro de carbono, e R$ 1,5 milhões em despesa com aquecimento e refrigeração do ar. [DADOS CONVERTIDOS COM  3 R$/US$].

A Grande Recife tem uns 3,5 milhões de habitantes, então, quando maldisser uma árvore, se lembre que sem ela, a cidade não só fica estética e climaticamente mais pobre. Fica também com menos recursos financeiros para o resto: saúde que piora, clima que torra ou afoga, infelicidade e depressão que decorrem da tristeza ambiental!  Pense e divulgue!

COMENTEM!!!

28 de agosto de 2017

CRÔNICA DE UMA MORTE ANUNCIADA... A NOSSA!

Ficus depenado... cidade mais quente!
Amigos...

Triste ver que a Prefeitura da Cidade do Recife não valoriza as árvores que a cidade tem, e acho que grande parte da população também não. Esse mês foram várias as baixas, entre podas superexageradas e erradicação de árvores "doentes".  Dentre elas, a poda radical de um ficus dos mais emblemáticos cartão postal da cidade, na rua da Aurora esquina com a ponte Princesa Isabel, em frente a SDS.  O ficus apesar de muito danificado e mal cuidado, queimado, meio derrubado em cima do Capibaribe, resistia bravamente, se agarrava ao pequeno pedaço de chão que a "civilização" deixou para ele. Civilização do carro quer mais espaço para a passagem daquele que controla a vida da cidade, entra prefeito, sai prefeito.  Aquele que alargou as alamedas no passado, em cima das calçadas arborizadas, deixando nacos mínimos de terra para as árvores se agarrarem e os pedestres passarem.

Agora, a coisa está pior.

As calçadas não atendem mais aos pedestres, o tráfego de cadeirantes e idosos não é possível.  E a culpa recai sobre as árvores, que nada fazem, só sujam com suas "malvadas" quase "perversas" folhas secas! Os "donos" incógnitos e não mencionados da cidade só aparecem quando uma das "malvadas" árvores, velha e desnecessária, deixa de resistir a tanta agressão e cai por cima de um carro. De repente, o povo se lembra que os "donos" da cidade estão em perigo, podem ser danificados pelo "mal encarnado", as silenciosas e magnificas árvores das belas alamedas do Recife.

Recife é um forno. Cercado de morros, estamos em um baixio, rente aos manguezais. As árvores amenizam o calor ambiental, absorvem a luz do sol e o excesso de umidade, proporcionam sombra, retém uma atmosfera mais fresca abaixo de suas copas. Remover as árvores de suas alamedas, além de descaracterizar bairros como Espinheiro, Graças, Torre, Casa Forte, etc, esquentam a vida de todos. Matam a cidade.

Fui lá no Ficus da Aurora. Pedi desculpas pela poda exagerada causada por outros da minha espécie. Orei para que ele se recupere. Ou estaremos todos condenados. É apenas uma questão de tempo...

COMENTEM...

4 de agosto de 2017

DIRIGIR BEM OU PILOTAR MAL?



Amigos...

Vamos definir isso direito: dirigir é o ato de conduzir um veículo; pilotar é dirigir um veículo numa competição com outros veículos. A maioria dos motoristas dirige. Uns bem, outros mal. Mas é direção, o motorista está observando as leis de trânsito, com uma ou outra roubadinha no espírito de "levar vantagem em tudo, certo?!" Mas tem aqueles que querem fazer do tráfego, uma pista de corrida, uma disputa tresloucada para chegar antes, nem que seja alguns segundos antes, no sinal fechado. Aqueles que ficam roncando o motor, em geral, potente, que correm cortando todos que aparecem pela frente. Aqueles que freiam em cima, brigam por um milímetro, xingam quem é mais lento, quem para onde quer. Quem sabe quais seriam os "mínimos" motivos para isso?!  Bem, em geral, esses "competidores" que se acham bons pilotos, dirigem muito mal. A grande maioria nunca entrou em uma pista de corrida, nunca disputou com iguais uma corrida, nunca nem mesmo participou de um "racha" para ver "quem é mais macho"?!?!  Só dirige mal, e muito provavelmente, pilota mal.

Quem sabe dirigir, entende o tráfego como uma atividade comunitária. Todos querem chegar, e não precisa ser o primeiro, se isso significar arriscar a vida. Todos só querem chegar ao seu destino, sem bater em ninguém, sem matar ninguém.

Ser bom motorista é saber dirigir bem, não pilotar mal!

COMENTEM!!!

3 de agosto de 2017

9 Dicas para pedalar no trânsito

Ajudando você a pedalar de forma mais segura no tráfego 
Foto e tradução livre desse artigo da TOTAL WOMEN CYCLING. 

Vamos enfrentar a realidade, andar de bicicleta nas ruas das cidades lotadas pode ser uma perspectiva assustadora, especialmente se você não usa sua bicicleta há algum tempo.

   As dicas a seguir sobre como pedalar no trânsito devem garantir que você tenha um passeio mais seguro:
  1. Seja observador. Use todos os seus sentidos. Seus olhos e ouvidos o guiarão para a segurança. Se você é dos que gostam de ouvir música enquanto pedala, leiam o artigo "se o ciclismo com fones de ouvido deve ser banido" (em inglês) para ter uma ideia de como isso afetará sua segurança nas ruas.
  2. Conheça as regras da estrada. Pratique a sinalização ao andar de bicicleta com uma mão, pois você será muito mais estável quando se trata de sinalizar o trânsito. Leia mais sobre o Código da Trânsito para obter mais informações.
  3. Planeje sua rota. Comece a andar de bicicleta em ruas mais tranquilas e familiares. Planeje e teste sua rota para trabalhar quando estiver menos tráfego. Conhecendo a rota, você já sabe por onde você vai, e deixa toda a atenção para o tráfego ao seu redor.
  4. Pedale com um amigo. Antes de peitar estradas e avenidas movimentadas, faça um passeio com um ciclista confiante, siga-os em um único bloco e deixe-os guiá-lo.
  5. Use roupas brilhantes. Não há nada pior do que não ser visível no tráfego pesado. Você pode encontrar um bom capacete alto e alguns acessórios brilhantes ideais para ser visto.
  6. Use as ciclovias. Onde possível, pedale nas vias concebidas para pedalar.
  7. Posicione-se longe da calçada, fuja da vala. Mantenha cerca de 3 metros de distância da calçada. Isso permitirá que os veículos vejam onde você está.
  8. Só saia da frente se você precisar. Se você está se sentindo desconfortável com um veículo que vem por trás, se está tentando ultrapassá-lo ou não, sinalize e puxe para um lugar seguro.
  9. Lembre-se que você tem o direito de estar nas ruas. Não deixe os veículos pressioná-lo. Esteja preparado para motoristas impacientes, apenas respire fundo, assegure-se de andar de bicicleta com segurança e ignorar.
COMENTEM... 

              1 de agosto de 2017

              INVEJA MATA...

              É amigos, a inveja mata!

              Mata de raiva ver que existe solução para tanto engarrafamento, desde que se decida que o carro não é mais o "imperador" da cidade. Chega de IMPERIUS CARRUS... quem aguenta ir 4 ou 5 km distante e levar uma hora de carro (quando é preciso usar mesmo o carro!?!) podendo fazer em 10 minutos de bike. A gente precisava de um prefeito que tivesse coragem, vontade, força política para levantar a mão e dizer com todas as letras: DEIXE SEU CARRO EM CASA, NÃO TEMOS MAIS ESPAÇO PARA ELE NA NOSSA CIDADE.  Políticos que botassem os ônibus na prioridade, ágeis e pontuais, e que atendessem toda a população. Políticos que decidissem que se não for ônibus, é a bicicleta que tem vez, é o pedestre que tem prioridade. Tirar carros da rua é a única forma de melhorar a mobilidade no Recife. E quem sabe, daqui a algum tempo, fazer feito Copenhagen, e implantar uma rede de SUPERCICLOVIAS, interligando localidades a 30-40 km de distância do centro da cidade. Algo como interligar o centro do Recife a Abreu e Lima, Igarassu, Itamaracá, Cabo, etc, por uma rede de ciclovias seguras, passagens prioritárias. Quem sabe...

              Como disse, INVEJA MATA!  Olhe o que Copenhagen está fazendo...



              COMENTEM...




              3 de julho de 2017

              PARA AJUSTAR SUA BIKE...





              Amigos... um vídeo para ajudar você a escolher e ajustar sua bike... aproveitem!

              COMENTEM...

              21 de junho de 2017

              CELULAR VELHO? OBA!

              Celular simples encostado? Que tal arrumar outro uso para ele?

              Amigos...

              Todo mundo que pedala no Recife tem andado com receio dos vários casos de assaltos em que levam a bicicleta...e as vezes, o resto também!  Mas vamos ficar na bicicleta, que é muitas vezes tomada de assalto...famoso "perdeu, perdeu..."!

              Bem, tem um tempo que já criaram sistemas de rastreio por GPS. Peças que vendem pelo mundo todo, e claro, no ALIBABA também! Tem de todo o tipo, de embutir, de esconder no guidon ou camuflado com lanterna, etc... e o preço nem é tão caro. Precisa de um chip 2G ou 3G local e usa GPS para enviar SMS para você com a localização da bike.

              Embaixo do SELIM cabe um celular pequeno, escondido...


              Mas me ocorreu uma outra idéia. Muita gente tem smartphones antigos que ficam parados quando passamos para modelos mais novos. Esses aparelhos podem ser limpos de toda e qualquer informação útil, ou até reformatados. Em seguida, instalamos um chip para um pacote que tenha muitos SMS grátis (de preferência, todos!).  Está pronto o "sensor GPS", e meio caminho andado!

              Em seguida, baixe e instale no seu smartphone android ATUAL ou no seu tablet, etc, um programa RASTREADOR DE CELULAR. Tem vários grátis nesse link.  No programa, você se cadastra e cadastra o número do telefone que você quer localizar. O programa então envia um SMS para o seu "sensor GPS" pedindo permissão para ser rastreado.  E claro, você vai nele e autoriza.  Tudo via SMS.  Pronto, permissão dada, o "sensor GPS" envia a localização quando você quiser saber onde ele está, basta acionar o programa no seu smartphone e escolher o número que você já cadastrou.

              Para sua segurança estar completa bastam agora alguns cuidados:

              1. pague o pacote do chip do "sensor GPS"; sem crédito, sem segurança!
              2. recarregue o "sensor GPS" toda vez que for sair ou pelo menos verifique se ele precisa de carga; o GPS come energia, então melhor colocar o bicho todo carregado!
              3. encontre um local seguro para prender bem o "sensor GPS" e coloque ele com visor escondido, para não atrair a atenção nem se a bike for colocada de ponta cabeça.
              4. embale o "sensor GPS" em plástico de alimentos, para evitar danos com a chuva e a lama.

              Boa sorte, e que você NUNCA precise da informação de um celular desses (ou seja, que vc NUNCA seja assaltado!).

              COMENTEM...

              17 de maio de 2017

              GUIDON CONECTADO....


              Amigos...

              Uma coisa que sempre me incomodou nas bicicletas é que elas são minimalistas ao extremo. Você precisa de lanternas, buzina, ciclocomputador, gps, etc.., e só tem um guidon mixuruca para encaixar tudo isso. E ainda precisa reparti-lo com os manetes de freio e câmbio. Muita coisa para pouco espaço. E pior, que quando você para em algum lugar, para não ser furtado, você precisa remover e levar consigo várias coisas da bicicleta e do guidon, como as lanternas, p.ex!

              Tem um tempo que imaginei um "console" ou "painel de instrumentos" onde tudo fosse fixo, preso com parafusos na bike, de forma que você pudesse estacionar e deixar tudo guardado junto. Bem, esse vídeo ai mostra uma opção bem interessante. Incluindo o alarme que garante um belo show se a bike for furtada enquanto você dorme!  Vale ver o vídeo. Maiores informações você encontra no link (em inglês).

              COMENTEM...

              14 de abril de 2017

              A LEI É A LEI...VÁ DISCUTIR NO CONGRESSO!



              Amigos...

              Todos já devem ter ouvido falar que, no Brasil, tem lei que "pega" e lei que "não pega". Já se começa errado quando a gente ouve isso. Por definição, as leis impõem deveres e direitos aos cidadãos de um país. Você pode não gostar, não conhecer, nem aprovar, mas você é obrigado a seguir as leis do Brasil.  Se você não gosta, não conhece ou aprova, você sempre pode se mexer para mudar a lei, através de projetos de iniciativa popular, angariando assinaturas, brigando para o legislativo mudar a lei. Isso pode ou não acontecer, mas não vai mesmo acontecer se ninguém se mexer.
              Se você não conhece a lei, ainda sim, ela te alcança. Porque você não pode alegar desconhecimento da lei para não segui-la. Se você discorda dela, não é com o guarda na rua que você vai convencer a mudar a lei.
              Assim posto, entenda de uma vez por todas, que o CÓDIGO DE TRÂNSITO BRASILEIRO, LEI Nº 9.503, DE 23 DE SETEMBRO DE 1997, estabelece:

              1. que a Bicicleta é veículo (art.96,II,a,1), mesmo que você acha que ela é apenas um brinquedo;
              2. que ela tem o direito de transitar nas vias públicas (art.58) e até pelas calçadas em casos especiais (art.59), e sem essa de que só nas ciclovias, ciclofaixas e cicloFALSAS!
              3. que ultrapassar um ciclista a menos de 1,5 metros ou em alta velocidade é infração média, com multa (art.201) e pontos na carteira, porque põe a vida do ciclista em risco!

              E por outro lado, como ciclistas temos direitos e deveres, especialmente se estivermos desmontados (art.68, § 1º).  Inclusive, podemos ter a bicicleta apreendida se formos para a calçada e pedalarmos de forma agressiva (art. 255).  Ciclista consciente não pedala na calçada. Desce e empurra.

              Resumindo, se você vir um ciclista na rua, de dentro do seu carro, respeite, dê espaço, não pressione, não fique acelerando colado na bicicleta. Você queira ou não, ele está certo!

              COMENTEM!

              9 de abril de 2017

              RESPEITO...

              fonte: daqui


              Amigos...

              Temos uma grave crise de respeito em nossa sociedade.  Respeitar o outro, virou algo politicamente incorreto, deve fazer mal.  A falta é geral. Toda uma geração de pessoas que só olham para o próprio umbigo.  Se portam em sociedade como se essa sociedade lhe devesse tributo, como se fosse seu direito divino ancestral passar por cima de toda e qualquer outra pessoa, ou ignorar simplesmente sua existência. Não se agradece mais uma gentileza. Não se pede por favor, não se diz mais obrigado. Viramos bichos!

              Pais e mães de filhos hoje grandes podem bater no peito: criamos a primeira geração de monstros.  Essa geração ignora a criação dos próprios filhos: cheios de "direitos" em ambientes em que pai e mãe não estão nem ai, seja porque também não tiveram educação doméstica, seja porque tem de lutar para conseguir sobreviver e enche-las com tudo de material, nada de educação. Seja por qualquer motivo, que são muitos. Os adultos sem respeito de hoje, estão criando a próxima geração dos sem respeito. Quando esses estiverem criados, serão esses pais que irão ver o que a falta de respeito faz.

              Sem respeito pelo ser humano, motorista quer mais que qualquer outro no trânsito sifu. Ciclista, passar por cima. Motoqueiro, quero mais que morra!  Epa, ônibus não, que é mais forte. Respeitamos a força. O fraco, o idoso, o deficiente, passa por cima e mata. A lei que devia proteger, é gerenciada por quem também não tem respeito. E assim, se espalha a m... no mundo!  Se você tem entre 30 e 40 anos hoje, pode começar a se preparar porque quando vc tiver 60 ou 70,  o bicho vai te pegar!?!

              Respeito é bom. Pena que só alguns sabem disso...

              COMENTEM...

              12 de março de 2017

              AINDA MAIS DO "MAIS, DO MESMO"

              Parte da "NOVA" ciclovia... 


              Amigos...

              Título complicado... mas explica-se.  Eu já usei o título MAIS, DO MESMO em posts anteriores.  Sempre mostrando que as ações da PCR e do Governo do Estado de Pernambuco são sempre ações parecidas e com os mesmos erros conceituais.

              Dessa feita, as fotos mostram a "nova" ciclovia que o governo do estado quer vender como "nova".  Vamos por partes... Ela vai sair do Marco Zero, o ciclista sai pedalando. Ao chegar na Ponte Buarque de Macedo, ele utiliza os seus superpoderes e "voa" até a praça da República, porque a ciclofaixa NÃO atravessa a ponte. Segue pela praça da República, até a ponte Princesa Isabel, onde saca novamente sua varinha de Harry Potter e flutua sobre o Capibaribe até a Rua da Aurora. Nesse ponto, estão "fazendo" muito trabalho na ciclovia...pintando parte do calçamento que já existe em todo parque linear da Aurora, na beira do rio, para parecer uma ciclovia... nossos governantes parecem ODORICO PARAGUASSU, mudando o nome do cemitério para ver se morria alguém e podia ser inaugurado. Pintam a pista de bicicleta que JÁ EXISTE A ANOS no parque da Aurora e na Carlos de Lima Cavalcante, e chamam de ciclovia para ver se enganam alguém.

              Os puxa-sacos ficam "lambendo o ovo" dos poderosos. Mas a gente que pedala sabe que esses cabras só se interessam por obras que possam tirar um "por fora".  E ciclovia é serviço mixuruca, barato, não dá "retorno" no bolso que autoriza. Novamente, nossos governantes tentam enganar o povo. Será que eles acham que ciclista é tudo analfabeto? Será que tem consciência de que somos médicos, advogados, físicos, químicos, engenheiros, funcionários federais de alto escalão, muitos com graduação, mestrado, doutorado e pós-docs?!

              Como visto, MAIS, DO MESMO!

              COMENTEM!!!

              13 de fevereiro de 2017

              ESPAÇO MEU OU NOSSO?

              ÔNIBUS DE MENOS, CARROS DE MAIS...
              Afinal, de quem é o espaço público?
              Quem deve agir para e como reduzir a dependência do carro?
              A gente tem coragem?

              Amigos...

              Numa conversa com amigos CICLISTAS, alguns expuseram o problema de como resolver o tráfego bloqueado que anda rolando no Recife nesses primeiros dias de 2017. O papo rolou sobre como tirar carros das ruas, e como atender as demandas por mobilidade com o transporte público que temos.

              O transporte público do Recife é ruim. Mas não é só por conta da quantidade de carros que existe nas ruas ou porque não existem faixas exclusivas em toda cidade. É ruim porque é mal integrado, existem poucos ônibus, que vivem presos em um sistema de vias antigo, apertado, e sem condições de fluidez. Os BRTs da Caxangá andam a 20 km/h! E isso porque tem uma canaleta exclusiva e um sistema de alimentação de passageiros super-rápido.

              Faz tempo que o P&O defende que precisamos dar um RESET na mobilidade do Recife. E sugerimos a seguinte rota de ação:

              1. tirar TODAS as vagas de zona azul do Centro expandido da Cidade, em um arco que vai até o começo da Caxangá, começo da Herculano Bandeira, fim da Cruz Cabugá quase Olinda. Sem vagas baratas, só quem tiver muitos recursos poderá pagar os exorbitantes preços dos estacionamentos privados...ou então, usar táxis ou uber para ir de carro. O resto, vai ter de usar o ônibus ou a bicicleta.
              2. Proibir o estacionamento de motocicletas nas ruas e calçadas do Centro contraído (região da Guararapes e  Dantas Barreto, até o Marco Zero e cercanias). Não vamos deixar a brecha de trocar o carro pela moto. 
              3. Transformar todo o Centro contraído em área pedonal, como se fosse um "GALO DA MADRUGADA" permanente. Os únicos veículos permitidos seriam as bicicletas, inclusive as de aluguel e  os rinquixás a pedal. Futuramente, veículos leves sobre trilho ou um bonde turístico local faria um giro pela borda da área pedonal.
              4. Todo o sistema de transporte público passar a usar o bilhete único, válido por uma hora.
              5. Todas as vias por onde passassem ônibus seriam dotadas de faixas exclusivas e sistemas de prioridade nas sinaleiras. Tornar o fluxo de ônibus prioritário.
              6. Todas as vias grandes teriam uma ciclovia exclusiva, indo dos bairros ao centro, e transversalmente nas perimetrais.
              7. O IPVA de carros no Estado deveria ser duplicado para reduzir o interesse em sua aquisição.
              8. O ICMS das bicicletas deveria ser zerado, aumentando a facilidade de aquisição e barateando a manutenção.
              9. Campanha de TV e rádio deixando claro que a Prefeitura e o Governo do Estado espera que as pessoas deixem seus carros em casa durante a semana, e usem o transporte público, as bicicletas, e se for extremamente necessário, táxis e Uber.
              10. Linhas de crédito específicas para destinar os carros à venda no estado para exportação, inclusive os carros usados.

              Parece difícil que um dia algo assim aconteça? Não parece, É MUITO DIFÍCIL. E sabe porque? Por que o carro domina as finanças do estado e do município. O carro elege os políticos.  O carro mantém postos de combustível funcionando, com pagamento de ISS. Mantém oficinas, lojas e revendas de peças, distribuidoras, etc, com pagamento de ICMS.  E tudo isso sem falar no lobby das empresas de ônibus, nas cooperativas de taxis, do CDL que pressionaria para ter carros no Centro, etc... Imagina o desemprego causado por essas 10 medidas acima?

              O problema não é apenas o excesso de carros. O problema são as múltiplas e variadas dependências que a cidade e o estado, e porque não, o país, tem com a indústria e o comércio dos automóveis. Tirar isso da reta, só na paulada.

              Quem se habilita a levar a primeira porrada?

              COMENTEM!!!

              9 de fevereiro de 2017

              VOCÊ ESTÁ PREPARADO PARA UM ACIDENTE?

              Pequenos acidentes podem ser muito perigosos.
              Procure saber como resolve-los para evitar danos maiores.
              Amigos...

              A BIKE COMMUTERS postou esta questão sobre um acidente com um ciclista durante uma trilha. A queda foi grande e quase decepou um dos dedos da vítima. Isso colocou duas questões: primeiro, fazendo trilha, qual a cobertura em caso de acidente?  E segundo, e na cidade, como minimizar os efeitos de um acidente?

              A primeira é mais simples que a segunda, porque fazer uma trilha é menos comum que pedalar no dia a dia. Sempre leve um kit de primeiros socorros, básico, mas suficiente até para estancar um corte feio na coxa, por exemplo.  Um corte assim, pode seccionar a artéria femural, e você morre rapidinho por falta de um simples torniquete.  Claro, você precisa saber que tem de aplicar um torniquete!!?  E para isso, é interessante que um ou mais de um participante, tenha conhecimentos ou feito um curso de primeiros socorros. Até chegar o SAMU no meio do mato, a vítima já "cantou para subir"! E você que gosta de trilhas, que curte sair pelo mato em locais ermos, tenha certeza que alguém sabe o que fazer em caso de acidente e tenha o kit básico sempre a mão.  E em seguida, SAMU. Estabilizado você tem mais chances de vida, e pode esperar o resgate.

              E na cidade? Você vai pedalando por ai, a lazer ou a trabalho, e uma "anta" motorizada te joga contra o meio-fio, fazendo seu passeio virar queda, dor, ferimentos, etc. A primeira questão é que você não deve dar um pulo e ficar de pé de imediato, apesar de ser o reflexo de 100% dos acidentados.  Pare onde caiu e se inspecione, deitado mesmo.  Veja se sente mais dor em qualquer parte do corpo, e tente se mexer aos poucos. Não force.  Em caso de dúvida, aguarde o resgate. Se você sentir que pode, levante-se devagar, sempre atento ao que está rolando com o seu corpo. A raiva de momentos assim nos enche de adrenalina, e deixa o corpo meio que anestesiado. Se nada pior aconteceu, siga. Se sobrou algo quebrado e/ou dolorido, dê um tempo para passar e siga. E se preciso, chame o resgate.

              Independente do que acontecer depois, fique atento a sinais importantes: se bateu a cabeça, mesmo com capacete, dores de cabeça podem indicar que houve algum dano com a pancada. Melhor procurar um médico.  Se alguma área do corpo inchar ou ficar alguma mancha roxa, procure um médico. Se você estiver com dores localizadas em algum ponto do corpo, mal estar, enjoo, procure um médico.

              E procure um médico RÁPIDO! Quanto mais rápido melhor.

              COMENTEM!!!!

              4 de fevereiro de 2017

              LEMBREM-SE DO SUJISMUNDO


              Tem outros vídeos do SUJISMUNDO no Youtube... 
              repasse ao seu "amigo" sujão e desrrepeitador da coisa pública!

              Amigos...

              A quem pertence a rua? Parece ser uma questão óbvia: "pertence a todos".  Mas você acha que "pertence mesmo a todos"? E o que é algo que "pertence a todos" no Brasil?  Nos acostumamos a pensar que o que "pertence a todos" serve para ser usado de forma irresponsável.

              Tratamos o bem público não como algo que devemos zelar e manter porque não é só meu. Ora, se é meu, eu faço o que quiser, inclusive sujar, ignorar o próximo, exigir o uso como se tudo fosse meu mesmo, propriedade de papel passado e tudo. Perversão de conceito.

              Essa é a raiz de tantos desmandos.

              O poder público faz campanhas onde "pessoas felizes" seguem todas as regras, "sem constrangimentos".  E elas não funcionam. Todos os dias vemos isso. Gente que comprou um carro e acha que comprou a rua. Gente que joga seu lixo pela janela do ônibus ou do assento da moto. Gente que pedala rápido ameaçando pedestres em cima de calçadas.

              O poder público devia mostrar era as "muitas caras feias da gente" olhando e observando esses comportamentos, como a gente faz quando vê. O poder público devia ser capaz de constranger os prováveis infratores para que pensassem duas vezes no ato antes de faze-lo.  Lembrem-se do SUJISMUNDO... funcionava tão bem...

              COMENTEM...


              11 de janeiro de 2017

              GRUPOS DE PEDAL...

              SAÍDA COM O APS no Carnaval de 2014.
              Nosso colega, Gabriel, "THE COCÔMAN", enchendo a cidade de alegrias...


              Amigos...

              Voltei a pedalar em Recife no meio de 2008.  Com a idéia de que o Recife era muito perigoso, assaltos em toda a cidade, comecei a sair com grupos de pedal noturno, para fazer alguma atividade física.  Para quem não pedalou muito por uns 15 anos (Salvador tem ladeiras demais para bike!), Recife é um paraíso e os grupos de pedal se mostraram um caminho simples e gratuito para me adaptar a cidade novamente.
              Sempre recomendo os grupos de pedal para iniciantes. A grande maioria dos grupos é composta de ciclistas que querem pedalar por prática esportiva ou simples prazer, e procura na formação do "efeito manada" a segurança que a cidade não oferece ao ciclista no dia a dia.  Ontem, por exemplo, dois atropelamentos de ciclista, com uma morte, mostram que muitos motoristas não gostam dos ciclistas, mesmo a gente sendo "um carro a menos", mesmo e talvez por isso, "não pague IPVA, não uso gasolina"... Todas as iniciativas são válidas para melhorar a vida da cidade.  Já ouvi de gente esclarecida, com nível superior e boas escolas, que a cidade não é para o ciclista, que foi feita para os carros e pronto. E tem ódio aos grupos de pedal que "roubam" 15 ou 20 segundos do seu precioso tempo num cruzamento. Sem discussão, porque gente assim costuma ser intolerante até com quem simplesmente o manda ler o CTB.  Mas sim, tem gente do nosso lado que também não gosta de grupos de pedal. Que acha que eles fazem mal para o "movimento dos ciclistas".  Que não lutam por nada além do poder econômico para eles.
              Eu já pedalei em 6 grupos. Nesses 8 anos, eu paguei 5 reais em um dos grupos que sai para experimentar. O dinheiro era para pagar o apoio que o grupo dava, gasolina no carro de apoio, pessoal não voluntário.  É um grupo de iniciante, onde o povo morre de medo de pedalar nas ruas. Haja paciência.  Conheço outras iniciativas que estimulam o uso da bike no dia a dia, voluntárias. Mas se tem o grátis e tem o pago, e se tem gente para as duas, cada um que escolha a que se sentir mais cômoda.
              Eu como não tenho recursos, acreditei e acredito nos grupos de pedal grátis.
              Sinto falta do APS para recomendar aos iniciantes, talvez o melhor grupo de que já participei, sem apoio, ninguém ficava para trás solto ou desprotegido, e rodava pela cidade toda, por lugares que só conhecia de letreiro de linha de ônibus.  Linha do Tiro, Corrégo do Euclides, Alto do Passarinho, entre outros, foram lugares que conheci com o povo do APS (AMIGOS PARA SEMPRE!). Obrigado a Roberta e Gil, organizadores do APS, por essas experiências. Também sinto falta do Corujaqueira. Mesmo limitado a 3 destinos alternados: OLINDA, BOA VIAGEM e  VÁRZEA, era um bom passeio.
              A CICLOFALSA demoliu por dentro os grupos, oferecendo um espaço para o passeio de bike semanal sem grupos. A prosperidade dos primeiros anos Lula, estimulou o uso das bicicletas.  Mas então veio o fim da prosperidade, a tal crise.  Com ela, o aumento da criminalidade e com novos alvos, as bicicletas.  E como mágica, alguns grupos que tinha continuado com menos gente, crescem em número de ciclistas e captam novas parcerias e roteiros. Agora os AMIGOS DO PEDAL PE, o VAMOS PEDALAR SEMPRE -VPS/Pedal Alternativo, e outros remanescentes da "época de ouro" dos grupos como o MARÉ BIKE e o PEDAL CLUBE, ganham força novamente.
              Esperar longa vida ao grupos, é infelizmente, entrar em conflito com o desejo de todos nós, de que a cidade seja mais amiga do ciclista TODO DIA, e que possamos ir para todos os lugares com menos medo.  Mas enquanto não conseguimos isso, vida longa aos grupos!

              COMENTEM!!!

              2 de janeiro de 2017

              5 CAUSAS DA SUA "BANHA" CONTINUAR RESISTINDO!

              PEDAL TODO DIA, MAS O "BUCHINHO" É RESISTENTE! PORQUE?


              Amigos...

              Você se mata, acorda de madrugada, pedala todo dia, mas nada daquele "bucho" obsceno se transformar pelo menos numa barriga decente, de leve, sutil! Fica aquele "cinto de banha", aquele "pneu de trator", em volta da cintura, aqueles "babados" balançando nas horas e lugares errados!  Talvez você esteja fazendo alguma coisa errada! Mas o que?

              Nesse post, vamos resumir a matéria da TOTAL WOMEN'S CYCLING sobre 5 motivos que estão causando essa banha, apesar dos seus esforços. As meninas costumam ter mais "tecnologia" que nós, homens, quando se trata de perseguir a banha!  Vamos lá...

              VOCÊ NÃO TEM DORMIDO O SUFICIENTE
              O sono é um momento de reparo dos músculos e equilibrio hormonal. Sem as horas necessárias, seu corpo fica sem energia e procura suprir isso com mais fome, quase sempre, carbohidratos. Durma uma noite sem despertador e sem interferências (crianças, animais, celular do chefe, etc) e descubra quantas horas seu corpo está precisando repousar mesmo, acordando naturalmente.

              VOCÊ ESTÁ "REABASTECENDO" MAIS QUE "QUEIMANDO"
              Observe que o item 2 é óbvio: se entra mais calorias do que você gasta, você não vai emagrecer mesmo. Mas além de prestar atenção as calorias, é preciso observar as várias necessidades do corpo. O corpo precisa de muito mais do que apenas calorias para queimar. Precisa de sais minerais variados, vitaminas, etc. A falta de um ou mais elementos na dieta, leva seu corpo a uma fome específica que muitos gordos não conseguem identificar. Terminam assim, comendo o que não precisam, apenas porque a fome bate, mesmo que aquilo que estão comendo não consiga suprir essa falta. Mantenha um diário de alimentação por algum tempo, observe se você mantém uma variedade de alimentos, se você busca estar sempre escolhendo frutas e verduras diferentes, nozes e castanhas, grãos integrais variados, etc.  Essencial combater a rotina alimentar, variando sempre que possível.

              VOCÊ ESTÁ SE EXERCITANDO MUITO E/OU COMENDO POUCO!
              Que loucura é essa?! Se estou me exercitando muito e comendo pouco, porque a banha não some? Porque seu corpo é uma máquina perfeita, desenhada por milhões de anos de evolução! Ela tem mecanismos de proteção ANTI-JEJUM.  Exercitando muito e/ou comendo muito pouco, seu corpo dispara uma situação de "FALTA DE COMIDA", e enche você de Cortisol. Isso diminui sua energia. Mais detalhes, você pode ler (em inglês) aqui!



              VOCÊ ESTÁ GANHANDO MÚSCULOS!
              Essa é a minha preferida, "me engana que eu gosto"! Realmente, o que você quer? Banha e músculos tem densidades diferentes: densidade é a divisão do peso pelo volume.  Assim, se o músculo é 3x mais denso que a banha, ao trocar 1 kg de banha por 1 kg de músculos, você ficou cerca de 67% menos volumoso. E o peso, continua o mesmo.  Isto nos sugere que uma boa forma de trabalhar é tirar suas medidas para que você acompanhe a redução do seu volume. Existem muitos protocolos para isso, um bom professor de educação física tem de saber como tirar as medidas. As banhas que estão ali na cintura podem estar sendo reduzidas, por baixo, convertidas em músculos, e apesar do peso se manter, o resultado final pode ser apenas que aquela gordura localizada não está sendo trabalhada adequadamente. Aí entra o quinto ítem.

              VOCÊ NÃO ESTÁ MUDANDO SUA ROTINA DE EXERCÍCIOS
              Esse é um dos mais difíceis de mexer: mudar sua rotina.  A tendência de todo mundo é manter a regularidade. Então a gente sai naqueles grupos que pedalam 40-50km, 3x por semana, 2-3h de pedal forte, e a banha ali, segura e firme.  Será que o nível de atividade e o tipo de atividade não estão constantes demais? Não seria o caso de alternar um ou dois desses treinos com um treinamento de altíssima intensidade e tempo mais curto? Ou simplesmente, deixar a bike de lado e dar uma corrida, ou fazer uma sessão de musculação variada?!  Se você malha todo dia na academia, já deve ter sido recomendado trocar a série periodicamente. A mesma coisa se você usa a bicicleta como atividade. É preciso variar!

              Assim, a gente que precisa se manter dentro de uma boa forma, especialmente quando os médicos nos descrevem com palavras altamente estimulantes como "diabético", "hipertenso", "quase-morto", tem de fazer mais do que apenas sentar e comer, treinar sem se ligar, pedalar até morrer.  A gente vai ficando banhudo com o tempo, mas não precisa ficar descuidado!

              COMENTEM...

              DE OLHO NA BIKE



              Click nas imagens e veja as fotos ampliadas no PICASA NA WEB!
              Ei, QUER SUA FOTO AQUI TAMBÉM? Se tiver bicicleta nela, vale! Mande com uns 800 pixels de largura maior para CONTATO.RL@GMAIL.COM, com marca d'água, nome, email e/ou telefone. Atualizado todo final de semana.
              No aguarde!

              Original ROGÉRIO LEITE @ 2010