5 de dezembro de 2017

SEGURANÇA NUNCA É DEMAIS...

U-LOCK modelo B15 da ORTRE.  Foto da BICYCLE TIMES

Amigos...

Recorrente aqui e em todas as rodas de conversa, é a insegurança que ronda todos os ciclistas. Não basta estarmos sujeitos a falta de educação e respeito dos motoristas quando estamos pedalando, ainda precisamos administar as "almas sebosas" que estão de olho em nossas bikes nas ruas (assaltos) ou nos paraciclos (furtos).  Assaltos e furtos especialmente tem aumentado muito, exigindo maior cuidado e controle nas contramedidas.

O assunto aqui vai se restringir aos furtos que atingem mais quem usa a bicicleta no dia a dia, e também a quem tem bicicletas caras estacionadas em garagens de prédios, por exemplo. Tenho notado um desconhecimento generalizado sobre as trancas e correntes. Sugiro a leitura de dois posts de 2009 sobre o assunto: a primeira e a segunda parte. Algumas contramedidas mais atualizadas podem ser vistas no BICYCLE TIMES (links 1 e 2), com travas tipo U-LOCK da Kriptonita e outros modelos diferentes, nem sempre encontrados por aqui.

Só tenha certeza de adquirir uma marca DECENTE.  Ir comprar qualquer "ching-ling" mesmo uma U-LOCK GENÉRICA não aumenta mais sua segurança, só sua ILUSÃO DE SEGURANÇA. Na AMAZON tem uma lista de modelos de boa qualidade, como KRIPTONITE, ABUS, ON-GUARD, etc.  Vocês não vão encontrar todos os modelos por aqui. Mas alguns se encontram, e já conhecendo as características, pode escolher de forma mais consciente.

Se você puder, registre sua bike no BIKE REGISTRADA, anote número do quadro, a descrição das peças mais importantes (se espelhe nas listas usadas pelos fabricantes para vender as bikes), e tire muitas fotos da bicicleta e dos itens para servir de prova em caso de furto ou assalto.

De resto, fique ligado onde você guarda sua bicicleta, não dê mole para os sebosos, e não facilite.

COMENTEM...

6 de novembro de 2017

VISIBILIDADE... VAMOS DISCUTIR ISSO?

Laser projetando linhas atrás da bicicleta. Casaco claro, com refletivos. Bicicleta com lanterna atrás do banco. E nem assim, podemos realmente acreditar que o ciclista está protegido!  Foto: DAQUI.
Amigos...

       O CTB (ARTIGO 29, INCISO XII, PARÁGRAFO 2º) e qualquer ciclista vai defender que existe uma responsabilidade imediata do motorista sobre os ciclistas e pedestres na via. E os ciclistas irão de imediato acrescentar que muitos carros não respeitam essa norma, especialmente à noite.  Existem opiniões divergentes se existe mesmo essa de "OLHEI MAIS NÃO VI" alegado por muitos motoristas para justificar fechadas e acidentes com ciclistas.  Também existem muitos ciclistas que não querem usar iluminação ou refletivos nas bicicletas ("não sou Árvore de Natal para andar piscando!" Já ouvi de uma ciclista!), que andam de preto com uma bike preta sem um único refletivo (ciclista ninja), e tendo a certeza de que estão sendo bem vistos no meio do tráfego.
Lanterna da BLAZE, projeta uma bike verde seis metros a frente do ciclista além do farol.  Foto: DAQUI
      Pedalo e ando à noite, em áreas de trânsito intenso, e já presenciei muitas dessas fechadas, muitos desses ninjas com destaque especial em ruas escuras, onde a visibilidade depende exclusivamente do farol dos carros.  Observe que estando a frente do carro, a bike é vista sempre. Mas estando atrás, ela está no esquema geral de sombras e contraluzes que dificultam uma precisa determinação de distâncias e vetores de direção. Eu, quando motorista, nunca consegui prever corretamente o movimento de sombras, atento que ficava ao tráfego a frente do carro. Por isso, quando pedalo, minha lanterna é posicionada ligeiramente a esquerda, para atingir o espelho retrovisor do carro imediatamente a minha frente e a minha esquerda.  Roupas claras, refletivos, lanternas traseiras piscando, tanto na bike quanto no capacete (ou na mochila, ou no boné, ou em qq parte alta), ajudam a aumentar minha visibilidade. Já tive aqueles lasers que criam linhas de "espaço do ciclista" ao lado e atrás da bike. E já vi o trabalho da Blaze em Londres, com um laser que cria uma bike verde à frente do ciclista para avisar ao motorista de sua presença e evitar que ele te feche.

      Acredito que tudo é válido para nos manter visível.  Isso não nos dá 100% de segurança, mas tira de nossos ombros o problema de visibilidade.  Cabe aos motoristas entenderem e respeitarem o nosso espaço.

COMENTEM...

4 de novembro de 2017

PLÁSTICOS: O FIM DE TUDO...

SACOS DE LIXO, no manguezal do Rio Capibaribe, na Rua da Aurora, altura da Assembleia Legislativa do Estado.
Levará quase um século para se dissolver totalmente, mas antes, irá se converter em pó e poeira da plástico, microparticulada, sendo absorvida por animais microscópicos e entrando na cadeia alimentar.

Amigos...

Sacos e garrafas plástica fazem parte do mundo nos últimos 50 anos. A natureza, em todo o mundo, está contaminada com eles. Plásticos não dissolvem como os materiais naturais, como madeira, metais ou cerâmicos. Plásticos se fragmentam em partículas minúsculas depois de muito tempo, e algumas são invisíveis a olho nu, mas capazes de entrar em todas as coisas, inclusive seres vivos. Entra através dos animais microscópicos que alimentam a base da cadeia alimentar, indo se acumular em peixes, aves e animais maiores que se alimentam deles, inclusive o homem.  Só muito recentemente foi descoberta uma nova bactéria que se alimenta realmente de plásticos, digerindo totalmente as cadeias poliméricas, mas ela só está presente em alguns lugares do planeta. Com isso, todos nós estamos nos tornando depósitos de materiais insolúveis e que não podemos digerir, que não podemos metabolizar, e que se acumula em nossos sistemas digestivo e excretor.  O tempo vai nos mostrar se esse dano que estamos causando aos nossos corpos será comparável com o que estamos causando ao resto do meio ambiente.

Seja proativo. Reutilize ou recicle todos os sacos e garrafas plásticas que puder. Nunca libere esses materiais no meio ambiente. Se você não fizer isso por você, faça pelos seus filhos e netos.  São eles que vão receber o mundo sujo que estamos deixando.

COMENTEM...

15 de outubro de 2017

ÁRVORES E BICICLETAS...TUDO A VER!

PRAÇA DA REPÚBLICA
Árvores fazem a diferença na temperatura da ciclofaixa.


Amigos...

Algumas décadas atrás, o Recife tinha bairros cheios de alamedas arborizadas, onde circulava a nata da cidade. A nata resolveu que não era possível para ela, nata, usar os pés para andar por essas alamedas. Queria exibir seu sucesso, seu poder, suas riquezas, e para isso, começaram a usar o carro como objeto de distinção. Quem tinha carro, tinha tudo. Depois, não bastava um único carro, mas um carro para cada membro da família.  Ora, nem nossas belas alamedas são de "borracha"?!?!  Muitos carros, vamos alargar as alamedas para termos mais espaço, mas isso tem limite. E começou assim o drama de nossas árvores, relegadas a vilãs de uma "nata" sem juízo.

Empurrados os limites das pistas de rolamento para os carros, reduziu as calçadas e sufocou as árvores.  Doenças, maus tratos, e idade, estão fazendo o resto.  Dúzias de árvores removidas.

No momento que mais e mais cidades do mundo investem na bicicleta, precisamos cada vez mais das árvores.  No Recife, cidade de sol quase constante durante o ano, são as árvores que garantem que os bairros "bons", continuem "bons".  Áreas de sombra como as oferecidas pelas árvores, reduzem a temperatura do ar, e criam correntes microlocalizadas que ajudam a reduzir a temperatura. Áreas de sombra fazem o pedalar mais suave, mais tranquilo e mais conectado com a cidade. Mais bicicleta, menos carros, quem sabe podemos voltar a ter alamedas onde andar seja o principal, conectando as pessoas ao lugar onde moram.

Assim, proteger e fomentar a bicicleta é também garantir o espaço das árvores. E lutar pelas árvores é garantir um ambiente melhor, inclusive para os ciclistas.

COMENTEM...

13 de outubro de 2017

A VERDADEIRA INVERSÃO DE PRIORIDADES

VIA MANGUE - RETRATO DE UMA SOCIEDADE CARROCRATA
Amigos...

Muitos devem lembrar que o atual prefeito do Recife "vendeu" a ideia de uma "inversão de prioridades" na ocupação do tráfego da cidade.  Os ônibus e os modais não motorizados, como a bicicleta e os pedestres, passariam a ser os reais "donos" do espaço público das ruas da cidade.

Isso ele nunca levou a sério.

Existem vários exemplos disso, mas os mais simples de perceber são a dificuldade para implantar faixas azuis exclusivas para os ônibus, a eternidade para a implantação dos terminais integrados da Caxangá, e a falta de colocação de ciclovias e ciclofaixas previstas no Plano Diretor Cicloviário.  Nunca tem dinheiro para essas ações que beneficiam os mais pobres, aqueles que não usam o carro particular para se mover na cidade.

E mesmo quando faz algo, ele faz errado. Na foto acima, mais uma vez, o ciclista que esteja usando a Ciclovia da Via Mangue é avisado que deve PARAR porque tem VEÍCULOS NA TRANSVERSAL.  Até aí, tudo mais ou menos, ele deveria ser instado a ter atenção. Mas onde está a placa para advertir o MOTORISTA que ele está cruzando uma ciclovia? Onde está a necessária lombada protetora para evitar que ele entre com tudo na transversal, como esse carro está fazendo?  Onde está a proteção ao ciclista na ciclovia que pela lei tem a prioridade ao passar em um cruzamento com motorizados?

Essa é a situação em todas as ciclovias e ciclofaixas do Recife. O ciclista é quem precisa administrar sua segurança, não só ao pedalar nas ruas, mas também em ciclofaixas e ciclovias, onde PELA LEI,  a prioridade é dele.  Essa é uma amostra da VERDADEIRA INVERSÃO DAS PRIORIDADES da Prefeitura da Cidade do Recife?!?!

COMENTEM...

DE OLHO NA BIKE



Click nas imagens e veja as fotos ampliadas no PICASA NA WEB!
Ei, QUER SUA FOTO AQUI TAMBÉM? Se tiver bicicleta nela, vale! Mande com uns 800 pixels de largura maior para CONTATO.RL@GMAIL.COM, com marca d'água, nome, email e/ou telefone. Atualizado todo final de semana.
No aguarde!

Original ROGÉRIO LEITE @ 2010